Gordices de Dezembro – Lasanha de beringela

Dezembro é o meu mês assumidamente preferido! É o mês que eu estou mais esperançosa, mais entusiasmada, mais velha e mais gorda! Pois é, com tanta empolgação, eu visito a cozinha, (como se ela fosse um parente distante) e faço minhas gororobas massas deliciosas regadas a muito molho e amor! Eu adoro comida “melequenta”, sabe? Aquelas cremosas, com muito molho, ideais pra fazer misturebas são minha especialidade.  E lasanha é uma dessas comidas.  É aquela que desmonta quando corta e que tem um molho bem cremoso, sabe? Pronto.

Estou em uma vibe meio vegetariana, já contei para vocês o quanto eu gostaria de ter essa disciplina alimentar, né?
Por isso resolvi fazer essa lasanha de beringela que é bem assim,  feiosamente deliciosa.  Ah, e bem simples de fazer. 🙂lasanha

Corte 3 beringelas em fatias longas, no sentido do comprimento. Não deixe muito fina! Para tirar o amargor da beringela, coloca numa tigela salpicando sal entre as camadas e depois cobrindo com água. Deixa de molho nessa água salgada por meia hora pelo menos, e depois tem que escorrer e lavar pra tirar o excesso de sal.

Prepare o molho de tomate e pronto! É só montar.

Antes de colocar as lâminas de beringela é bom dar uma secada nelas usando um pano limpo, tá? Aí finaliza com molho vermelho, presunto e queijo muçarela. Eu coloquei as lâminas de beringela que sobraram na lateral da travessa e elas ficam bem cozidas também.

  1. Leve ao forno em temperatura de 180º graus por cerca de 30 minutos para cozinhar (com papel alumínio)
  2. Após isso retire o papel alumínio e deixe por mais 5 a 10 minutos para gratinar
  3. Sirva quente.
  4. Me chame! hehehe
Anúncios

Notas sobre política

Na minha casa, aprendi desde cedo que é preciso confiar nas pessoas. Mas, sempre com critério. Com análise. Com inteligência. Aprendi que não basta ter uma grande inteligência, é preciso que ela vá além e seja emocional.

Aprendi desde cedo, que devemos jogar o jogo, mas jogar bem feito, jogar com a alma, planejar, ter estrategia.

Aprendi um monte de coisa. Muitas precisam ser revisadas minuto a minuto desta vida, porque é dureza fazer certo.

Na minha minha família todos têm o mesmo direito.

Chega na frente quem corre mais. Vence quem merece. Mas a oportunidade, todos tiveram. E os quem estão vindo agora, também têm.

Na minha opinião, se algo é bom, tem que ser pra todo mundo.

Não gosto de quem se acha melhor. Gosto muito menos de quem conta vantagem. Odeio quando marginalizam pessoas, por credo, raça, cor, sexo, preferência política, por nada.

Nem todo mundo desta casa grande que é toda a minha família, captou a lição, uns foram pra cá, outros foram pra lá, mas quem ficou do lado de cá, aprendeu que respeito é uma palavra chave, indispensável.

Aprendi que temos direito a uma posição, e podemos defendê-la, mesmo sob risco de marginalização.

Minha mãe me ensinou sobre coragem e sobre valentia. Sobre homens e mulheres serem filhos de Deus, sem superioridade. E que às mulheres cabe um extra de carinho, respeito e consideração. Me ensinou que tenho que ser elegante, que saber me comportar, ter carinho com as pessoas, e saber falar as coisas, saber ouvir, e ser capaz de ouvir opiniões contrárias sem me ofender e nem ofender ningúem. Não perder as minhas convicções e a ternura ‘jamás’.

Na minha casa sempre tivemos um posicionamento político. Falar sobre os caminhos políticos de nossa cidade, estado, país, sobre o mundo, sempre foi uma prática. Minha mãe me ensinou história desde o descobrimento do Brasil. Tive o privilégio de estudar, de aprender, de saber por a cachola pra funcionar e pensar por ela mesma, por respeito e consideração a tudo que me foi transmitido desde o dia que nasci é que venho até este espaço onde coloco minhas opiniões mais variadas, declaro delicadamente que voto na Presidenta Dilma com coração leve e a cabeça tranquila.

Ela me faz lembrar minha casa.

Ela me faz lembrar família. Luta diária. Olhos atentos. Coração valente e amor por toda gente, seja lá quem for, com ela eu aprendo que para ser uma grande mulher há que se ter muito mais do que os predicativos básicos, á que ter uma enorme capacidade de gerar amor e amor é o que eu deixo nestas linhas, amor para os que comungam destes pensamentos, e sobretudo amor aos que discordam dele, porque caros amigos, tudo que a gente quer é um país melhor, mais direitos e alegrias para todos. A sua convicção pode ser diferente da minha, mas no final, o que a gente quer é que a felicidade seja geral.

Boa Sorte, para todos. Por um país sem exceção.!

25 cenários de filmes fotografados na vida real

Essa incrível série de fotografias foi criada por Christopher Moloney, e se chama FILMography, onde vários cenários de filmes (e algumas séries) são encontrados na vida real. Confira:

1 – Gênio Indomável

2 – Bonequinha de Luxo
3 – Esqueceram de Mim
4 – Doctor Who: The Angels Take Manhattan
5, 6 – Os Vingadores
7 – Os Agentes do Destino
8 – Noivo Neurótico, Noiva Nervosa
9 – MIIB – Homens de Preto II
10 – Cisne Negro
11 – Um Duende em Nova York
12 – Ela Dança, Eu Danço 3
13 – Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
14 – Glee
15 – Elementary
16 – O Diabo Veste Prada
17 – Sex And The City 2
18, 19 – Homem-Aranha
20 – Encontro de Amor
21 – Capitão América: O Primeiro Vingador
22 – Amizade Colorida
23 – Prenda-me Se For Capaz
24, 25 – Mens@gem Pra Você

Os três pilares do amor

Eu acredito que só através do amor conseguimos ser inteiros, preenchidos e leves!

Quando falamos de amor, pensamos muitas vezes nos relacionamentos. Mas, o amor é muito mais do que o relacionamento entre as pessoas. E os relacionamentos são muito mais do que o amor. Estive pensando nas bagagens que carrego da vida, nos pontos que colhi, e percebi que o amor faz parte de uma tríade do relacionamento. Na minha opinião o relacionamento tem três pilares: o amor, o tesão e a felicidade.

Se pararmos para pensar, todos os três podem existir entre as pessoas de forma independente. Mas, para que um relacionamento seja pleno, os três precisam existir juntos e alinhados. Pode tesão sem felicidade, amor sem tesão, mas o que é mais difícil de aceitar é o amor sem a felicidade. Aceitar que o amor não basta pra ser feliz é uma elevação de espírito. Deveria bastar, na verdade. De tão intenso, forte e completo, o amor deveria bastar. Chega a ser injusto.

Mas, o amor não basta. O tesão não basta. A felicidade não basta. A leveza só se encontra num relacionamento quando esses três caminham juntos. Só existe força diante disso. Só existe amanhã diante disso. E quando a gente achar que sorrir é ser feliz, vamos lembrar que “só” feliz não basta.

Perfeito é o que você sonha, Valentina!

Perfeito é o que você quiser dentro do seu coração. Dentro do meu, há uma noite de estrelas. Faz frio, mas só do lado de fora. Dentro do meu coração, há uma casa. Uma pequena casa de troncos antigos e duradouros, afetuosos troncos de madeira que cedem seu direito de ser árvore para virar abrigo. Dentro dessa casa tem luz. Uma luz intensa sem ser forte, suave e gerada por fagulhas de amor. O que gera a força pra essa casinha é o amor que ela gera. É de fácil acesso, e justo por isso, pouco avistável. Não percebemos quando algo está muito perto. O que é muito simples. O que é calmo e suave. Dentro do meu coração existe um céu de muitas estrelas, existe uma bruma com cheiro de dama da noite, mágica, e lá existe uma casa. Uma casinha de uma porta e sem janela. Ela é perfeita pra mim. E tem lugar pra você.

Um trecho do meu livro que já está na 32442 edição, rs.   (e não deixei ninguém ler ainda. Mas, esse ano tomei vergonha na cara e ele ~talvez~ fique pronto) :p